Discipulado segundo Jesus

Ao final de nossa reflexão sobre Jesus o mestre por excelência, dissemos que existem elementos na arte e no ensino de Cristo que são meramente humanos. Porém, antes de abordarmos esses elementos, precisamos conhecer o que significa ser um discípulo de Cristo.

A palavra discípulo deriva do latim discípulus, sendo que no primeiro século depois de Cristo, transmitia a ideia de aluno ou aprendiz.1 Essa palavra está estreitamente relacionada à ideia de “disciplina”. Ela implica na exigência de que se renuncie a tudo. A raiz verbal desse vocábulo vem do latim discere, que traduzido significa ensinar.2

Nas Sagradas Escrituras a ideia de discípulo aparece no Antigo Testamento. No primeiro Livro das Crônicas 25.8 podemos ler: Deitaram sortes para designar os deveres, tanto do pequeno como do grande, tanto do mestre como do discípulo”. Essa passagem refere-se aos alunos da escola de música do templo de Jerusalém. O termo hebraico ali utilizado é talmyd, que tem sua raiz na palavra lamad, e pode ser traduzido por aprender ou ensinar. No judaísmo do pós-exílio, o discípulo (talmyd), que escolhe subordinar-se a um rabino segue-o em todo lugar aprendendo dele, e, sobretudo servindo a ele. A obrigação do aluno para servir é uma parte essencial da aprendizagem da Torá, e a capacidade de praticá-la em toda e qualquer situação3.

Ainda no Antigo Testamento a palavra discípulo aparece no livro do profeta Isaías 8.16: Resguarda o testemunho, sela a lei no coração dos meus discípulos”. Esse profeta usa o termo “discípulos” para se referir àqueles que eram ensinados ou instruídos.4 Dessa vez a palavra usada é limmud5, que pode ser traduzida por ensinado, instruído ou discipulado e também é derivada da palavra lamad. A Septuaginta (LXX), versão modelar do Antigo Testamento em língua grega, verteu para mathetés, que traduz o mesmo significado de aluno, aprendiz, pupilo, discípulo.6

Essa era a palavra favorita de Jesus Cristo para aqueles que tiveram suas vidas ligadas entranhadamente com a dele.7 No Novo Testamento, as palavras que tem vínculo com o discipulado se aplicam, mormente aos seguidores de Jesus e descrevem a vida de fé.

Temos ainda o termo Akolouthéo (“seguir”); este indica a ação de um homem que responde ao chamado de Jesus, e cuja vida recebe novas diretrizes em obediência. No grego clássico, esse vocábulo se forma de keleuthos, “um caminho”. Significa “ir para algum lugar com outra pessoa”, “acompanhar”, “ir atrás de alguém”, “seguir”.8

Já o vocábulo mathetés (“discípulo”) refere-se a alguém que ouve a chamada de Jesus e se torna seu seguidor. Mimeomai (“imitar”) pode se distinguir disto, na medida em que enfatiza principalmente a natureza de um tipo específico de comportamento, modelado em outra pessoa.9


1 DOCKERY, D. S. Manual Bíblico Vida Nova. São Paulo: Edições Vida Nova, 2001. p. 634.

2 CHAMPLIN, R. N. Enciclopédia de Bíblia, Teologia e Filosofia. São Paulo: Editora Hagnos, 2004. p. 180

3 BROWN, C. O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento – vol. I. São Paulo: Edições Vida Nova, 1984. p. 659

4 YOUNGBLOOD, R. F. Dicionário Ilustrado da Bíblia. São Paulo: Vida Nova, 2004. p. 424.

5 Bíblia On-Line – Módulo Avançado. Versão 3.00, 07 de Outubro de 2002.

6 TAYLOR, W. C. 1886-1971. Dicionário do Novo Testamento grego. 10. Ed. Rio de Janeiro: JUERP, 1991. p. 130.

7 MOORE, W. B. Multiplicando discípulos, o método neotestamentário para o crescimento da igreja. 2. Ed. Rio de Janeiro: JUERP, 1984. p. 21.

8 BROWN, C. O Novo Dicionário Internacional de Teologia do Novo Testamento – vol. I. São Paulo: Edições Vida Nova, 1984. p. 658.

9 Idem, p. 658.

1 Comment

  1. Perfeito!
    Não há possibilidade de nos tornarmos discípulos de Cristo sem seguirmos Suas diretrizes para as nossas vidas. Há um modo de vida, um jeito de seguir, uma forma de viver que é peculiar do discípulo em relação ao seu Mestre. O próprio Jesus deixou claro quanto à existência dessas diretrizes em diversas passagens nas Escrituras:
    – “Jesus dizia, pois, aos judeus que criam nele: SE vós permanecerdes na minha palavra, verdadeiramente, sereis meus discípulos” (João 8:31);
    – “NISTO todos conhecerão que sois meus discípulos, se vos amardes uns aos outros.” (João 13:35); e
    – “NISTO é glorificado meu Pai: que deis muito fruto; e assim sereis meus discípulos.” (João 15:8).

Deixe uma resposta para André Filipe Barreira Cancelar resposta